Entidades avaliam organização do FIT 2021 diante do cenário pandêmico

114

A pandemia da Covid-19 trouxe novos desafios para a realização do 2º Fórum Internacional Tributário da América Latina (FIT 2021), previsto para acontecer em setembro deste ano, na cidade de São Paulo. Para discutir o atual cenário, os integrantes das entidades organizadoras – ANFIP, Fenafisco e Sinafresp – reuniram-se nesta quinta-feira (4/3), por meio de videoconferência.

Pela ANFIP, participaram os vice-presidentes Cesar Roxo Machado (Estudos e Assuntos Tributários), Maria Beatriz Fernandes Branco (Assuntos Jurídicos) e Ariovaldo Cirelo (Serviços Assistenciais); o coordenador do Conselho de Representantes, Genésio Denardi; e a presidente da Fundação ANFIP, Margarida Lopes de Araújo.

Os dirigentes apresentaram as preocupações na continuidade da organização do evento e decidiram reavaliar a situação sanitária do país em junho. A ideia, inicialmente, é que, havendo condições seguras e uma redução do quadro pandêmico, o Fórum aconteça de forma híbrida, ou seja, uma parte presencial e a outra virtual.

Caso os números da Covid-19 não sinalizem uma redução nos próximos dois meses, as entidades concordam em manter o FIT 2021 apenas virtual, visando a maior segurança dos participantes e dos palestrantes.

O grupo entende que, independente do modelo adotado, virtual ou híbrido, a mudança não tira a grandiosidade de um evento que reúne representantes de toda a América Latina.

Sobre o FIT
A 1ª edição do Fórum Internacional Tributário da América Latina foi realizada em 2018, também em São Paulo, e foi resultado do movimento Reforma Tributária Solidária: Menos Desigualdade, Mais Brasil. Naquela ocasião, o evento reuniu mais de quarenta especialistas, de 14 países, para elaborar uma profunda análise do sistema tributário brasileiro e trouxe ao debate propostas para tornar o modelo tributário mais solidário.