Frente afirma que atraso na tramitação da Reforma Administrativa é positivo para servidores

267

Em reunião, nesta segunda-feira (29/3), coordenada pelo vice-presidente de Política de Classe e Política Salarial, José Arinaldo Gonçalves Ferreira, a Frente Parlamentar Mista do Serviço Público debateu a atuação conjunta das entidades na Reforma Administrativa. Também estiveram presentes os deputados federais Rogério Correia (PT-MG) e Paulo Ramos (PDT-RJ).

Para José Arinaldo é muito claro que não há necessidade de urgência em aprovar a PEC 32/20 (Reforma Administrativa), pois o país funciona normalmente há muitos anos com as regras atuais. “Fizeram a mudança Trabalhista e da Previdência, sempre para prejudicar a sociedade brasileira, e tudo isso ocorre porque o governo não tem nenhum plano de administração econômica para o Brasil. Então como tem nada para fazer, a única inspiração é prejudicar os trabalhadores”, frisou.

Ao apresentar o panorama do Congresso Nacional desta semana, o consultor político Vladimir Nepomuceno, informou que não há nada agendado devido ao feriado nacional da Paixão de Cristo, na sexta-feira (2/4). Segundo ele, o atraso na tramitação da pauta é positivo para os servidores, pois ganham mais tempo para o debate da matéria. “Precisamos focar nosso trabalho, colocar as nossas proposições, adiar a tramitação o máximo possível e fazer pressão em cada parlamentar”, completou o deputado Rogério Correia.

O deputado Paulo Ramos informou que ficou acertado na reunião de líderes da Câmara dos Deputados que nenhuma matéria iria tramitar nos próximos dias, exceto as vinculadas à pandemia.

Na ocasião, foi deliberada solicitação de reunião com o vice-presidente da Câmara, deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), que, segundo o deputado Rogério Correia, que sugeriu o encontro, é contra a aprovação da Reforma no cenário atual.  A ideia é debater as questões prejudiciais aos servidores trazidas pela PEC 32, e solicitar apoio da Mesa para que a discussão seja congelada até que o país tenha condições de realizar o debate de forma presencial.

A coordenação da Frente convocou ainda a colaboração das entidades para manter o bom funcionamento do movimento, com a renovação de adesão e início de uma Vakinha, ferramenta de arrecadação virtual, para financiar as ações da Frente em defesa dos interesses dos servidores.