Emoção marca abertura dos 50 anos da I Convenção Nacional

A emoção por relembrar uma história tão rica e atuante marcou a abertura da comemoração dos 50 anos da I Convenção Nacional, que acontece nesta sexta-feira (9\11), no Rio de Janeiro, cidade onde, em 1968, foi realizado o primeiro evento que veio a se tornar o ápice das mais importantes decisões associativas.

Com o auditório lotado, o presidente da ANFIP, Floriano Martins de Sá Neto, pontuou vários momentos das últimas 26 Convenções realizadas, mostrando que as decisões tomadas em conjunto pelos associados geram resultados surpreendentes para toda a sociedade. “Quem nasceu antes de 1988 e vivenciou aquele ano tem que dar valor à Constituição Federal. A ANFIP reafirma seu compromisso e não deixará que a Carta Magna seja rasgada, principalmente no que diz respeito aos direitos sociais”, disse.

O presidente também parabenizou a ANFIP-RJ, cuja denominação foi alterada recentemente, agradeceu ao deputado Alessandro Molón (PSB/RJ), presente ao evento, pelas defesas empreendidas na Câmara dos Deputados e destacou a atuação de todos os conselhos que integram a Entidade nas lutas empreendidas. “Viemos comemorar o passado, mas estamos no presente e temos que pensar no futuro”, frisou.

Na mesa de abertura da sessão solene, ainda estavam presentes o superintendente da 7ª Região Fiscal da Receita Federal do Brasil, Luiz Henrique Casemiro; o substituto do secretário Municipal de Fazenda do Rio de Janeiro, Francisco Octavio Florido Cardoso; e o presidente da ANFIP-RJ, José Arinaldo Gonçalves Ferreira.

Alessandro Molón, deputado federal reeleito, falou dos grandes desafios que virão e que poderão, segundo ele, ser enfrentados com tributação justa. “Somos um dos países mais desiguais do mundo, esse é o maior dos nossos problemas, a desigualdade que se manifesta de várias maneiras”, lamentou. De acordo com o parlamentar, fazer frente a esses grandes fossos que separam a sociedade só será possível com uma tributação justa. “Queremos fazer esse debate, mas ele precisa ser feito de forma justa, equilibrada e com a participação da sociedade”, destacou, rejeitando a ideia de tratar a reforma da Previdência faltando um mês para o fim da legislatura. “O novo presidente tem uma proposta para a reforma. Que ela seja enviada para o Congresso Nacional”, enfatizou.

Arinaldo Ferreira, presidente da ANFIP-RJ, falou da alegria em comemorar os 50 anos das Convenções no Rio de Janeiro.  “Esses 50 anos não poderia deixar de acontecer em outro lugar senão aqui, onde tudo que se fala, tudo que se faz, o Brasil todo tem conhecimento”, destacou. “Nós, Auditores Fiscais, sabemos do valor da nossa categoria. Nossas lutas foram sempre voltadas aos interesses mais legítimos da carreira sem perder a causa pública. Temos compromisso com toda a sociedade brasileira”, disse.

Francisco Octavio, Auditor Fiscal e associado da ANFIP, parabenizou todos os colegas que trouxeram a Entidade até aqui. “A ANFIP tem visão mais ampla das causas públicas e agora temos uma nova ordem política econômica e a questão da Previdência continua sendo colocada como foco principal do equilíbrio das contas. Precisamos brigar e a ANFIP tem papel preponderante por uma reforma justa”, frisou.

O superintendente da 7ª RF, Luiz Casemiro, relatou sua experiência com a ANFIP, especialmente após a unificação dos fiscos. “Chamou-me atenção os trabalhos realizados pela Associação. Eu me interesso por estudos, e o material da ANFIP nos últimos anos me impactou. É um trabalho muito interessante. Além da aproximação com o Congresso, que dá uma contribuição ímpar para a sociedade brasileira”, afirmou.

Seguindo a programação do evento, há ainda o debate da Reforma Tributária Solidária e o ANFIP do Futuro. Acompanhe nossos informativos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *