Alerta: pesquisa revela aumento nos crimes de clonagem de WhatsApp

205

No Brasil, mais de 15 mil pessoas têm suas contas de WhatsApp clonadas por dia. Segundo pesquisa realizada pelo laboratório especializado em segurança digital da PSafe – startup brasileira líder no desenvolvimento de aplicativos de segurança, performance e privacidade -, em setembro o número de vítimas cresceu 25% em relação ao mês anterior, projetando que mais de 473 mil brasileiros tenham caído no golpe durante o período.

Outro registro feito pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) chegou a apontar o aumento de 273% nos crimes virtuais entre março e agosto de 2020, representando um índice de casos quase 4 vezes maior comparado ao ano passado.

De acordo com o diretor do centro, Emilio Simoni, a clonagem é uma manipulação psicológica, uma articulação para ludibriar os alvos. “O sucesso desta técnica depende da relação estabelecida entre o golpista e a vítima, que tenta ganhar sua confiança; e o mais comum é o pedido de empréstimos e/ou o pagamento de contas. Por isso, a melhor forma de evitar estes ciberataques é a prevenção”, explica.

Diante das pesquisas, a ANFIP, preocupada com a segurança dos associados, preparou algumas dicas para evitar possíveis tentativas de estelionato. Confira:

Como se proteger

1 – Instale um aplicativo de segurança e proteção de referência em seus dispositivos móveis. Eles dificultam invasões e eventuais vazamentos de dados, alertando, por exemplo, sobre clonagem de WhatsApp em tempo real;

2 – Ative a autenticação de dois fatores ou confirmação em duas etapas em suas redes sociais (WhatsApp: Configurações > Conta > Confirmação em duas etapas). Este procedimento simples e rápido fortalece a segurança da sua conta, solicitando de tempo em tempo um segundo código ou senha para prevenir fraudes;

3 – Nunca compartilhe seu código de confirmação do WhatsApp com terceiros e desconfie sempre desse tipo de solicitação por parte de supostos bancos, sites de e-commerce, institutos de pesquisa, etc.