MCCE apresenta à ANFIP projetos em andamento

130

O diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Luciano Santos, apresentou nesta quinta-feira (17/10) ao presidente da ANFIP, Décio Bruno Lopes, e ao vice-presidente Executivo, Márcio Humberto Gheller, as principais ações desenvolvidas pelo movimento em prol de um trabalho educativo sobre a importância do voto de cada cidadão.

Luciano Santos explicou que o trabalho é fundamental para que a sociedade desperte para o seu papel fiscalizador. “O eleitor elege e depois não tem ferramentas para cobrar, para fazer obstruções. Tudo está nas mãos do Congresso”, avaliou. Segundo ele, o MCCE promove hoje em todo país o debate Desinformação em Eleições, que busca justamente criar ferramentas para evitar que a cultura da corrupção se perpetue. “O governo foi eleito com o discurso do combate à corrupção, então ele tem que ser coerente”, disse.

Os debates são feitos em parceria, além dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), com o Whatsapp, Facebook e Google, principais meios utilizados para a propagação da desinformação ou de notícias falsas, as chamadas fake news. “As fake news agora estão aliadas à tecnologia. A mensagem sai de um robô e em segundos viraliza. Isso influencia diretamente na hora do voto. É o que tem acontecido em eleições”, disse sobre a parceria com as empresas. O debate conta ainda com apoio da Agência Lupa e do Instituto de Tecnologia e Equidade (IT&E).

Além deste, existem outros trabalhos em andamento pelo MCCE, como a compra de votos e a lei da ficha limpa. A reunião entre as duas entidades foi um pedido do Movimento já que houve a mudança do Conselho Executivo da ANFIP. “Nosso objetivo é estreitar nosso relacionamento e fortalecer as atividades”, disse Luciano Santos.

O vice-presidente Márcio Gheller explicou como é a estrutura da ANFIP, incluindo as Estaduais, e se colocou à disposição para colaborar com os trabalhos. Os próximos debates do MCCE acontecem em Vitória (31/10), Roraima (14/11) e Belo Horizonte (21/11).