Receita Federal no Aeroporto de Brasília apreende mais de 200 Kg de drogas desde janeiro deste ano

85

Desde janeiro deste ano até esta quarta-feira (18/5), os Auditores-Fiscais e os Analistas-Tributários da Receita Federal no aeroporto de Brasília, com a utilização de técnicas de pesquisa e investigação e diversos tipos de tecnologia, já interceptaram mais de 200 Kg de droga:

  • -  138,34 kg de cocaína
  • -  54,35 kg de skunk
  • -  100 g de haxixe
  •   - 12,1 kg de metanfetamina
  • -  1,6 kg de ecstasy
  • -  30 frascos de cetamina
  • -  319 unidades de anabolizantes
  • -  25 frascos de botox

As apreensões de drogas realizadas pela Receita Federal no Aeroporto de Brasília são consequência direta dos trabalhos de rotina dos seus servidores na inspeção de bagagens de voos domésticos, de encomendas postais que transitam pelo armazém dos Correios no aeroporto, bem como da análise de risco de viajantes internacionais, que permite à fiscalização atuar no monitoramento e inspeção de viajantes e bagagens de maior risco, sem interferir no fluxo dos viajantes comuns.

Para a realização desses trabalhos e a identificação de itens proibidos nas bagagens e cargas, os servidores da instituição contam com o apoio de equipamentos de raios-x, espectrômetro de massa, narcotestes, sistemas de vigilância eletrônica/CFTV, e o valioso apoio de duas equipes K9, com os cães de faro Roxy, de 8 anos de idade, e Bruce, de 2 anos.

Apenas na última semana, a Receita Federal identificou quatro relevantes eventos de tráfico de drogas no Aeroporto de Brasília:

  • - 09/05/2022 - Mulher de 27 anos com destino à Europa foi selecionada na análise de risco dos servidores da Receita Federal e impedida de embarcar para a Europa com 19,865 kg de cocaína escondidos em fundo falso da mala;
  • – 10/05/2022 - Em trabalho de fiscalização de rotina, servidores da Receita Federal identificaram bagagem de um passageiro de 30 anos que embarcou em Porto Velho e realizaria a entrega de 11 kg de cocaína em Maceió, não fosse a forte vigilância realizada pelos agentes aduaneiros no Aeroporto de Brasília, onde o passageiro estava em conexão quando interceptado;
  • – 12/05/2022 - Peruano foi selecionado pela análise de risco realizada pelos servidores da Receita Federal e flagrado tentando levar 13,7 kg de variante da “cocaína preta” para a Europa;
  • – 14/05/2022 - Cinco passageiros de um mesmo voo com origem em Porto Velho e destino a João Pessoa foram identificados pela Receita Federal na conexão em Brasília, tentando levar um total de 57 kg de cocaína em suas bagagens.

A Receita Federal monitora e está sempre atenta às novas formas e procedimentos adotados pelos traficantes e trabalha com precisão no combate aos ilícitos para desarticular o crime organizado.  A droga retirada de circulação deixará de alimentar o tráfico de drogas, que está intimamente ligado à violência, homicídios, crimes patrimoniais, agressões e inúmeros outros males que afetam a sociedade.

Fonte: Receita Federal