ANFIP acompanha debate sobre PEC 32/2020

169

A TV Vermelho recebeu, em live no seu canal do Youtube, nesta terça-feira (3/11), Vladimir Nepomuceno, assessor da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público, da qual a ANFIP é integrante, para um bate-papo sobre a Reforma Administrativa. O vice-presidente de Política de Classe e Política Salarial da ANFIP, José Arinaldo Gonçalves Ferreira, acompanhou a entrevista conduzida pelo jornalista Iram Alfaia.

A PEC 32/20 (Reforma Administrativa) foi criticada por Vladimir Nepomuceno, que desconstruiu alguns argumentos utilizados pelos representantes do governo que apoiam a Reforma que pretende desmontar o serviço público.

Ao abordar o suposto inchaço no serviço público apresentado pela proposta do governo, Vladimir afirmou que o argumento é uma mentira para vender para a iniciativa privada a ideia de que o serviço público não funciona por que tem servidores demais, enganando a sociedade para que não se mova contra o desastre que vai atingir a própria população.

Sobre a teoria de que os atuais servidores não serão atingidos, o assessor explicou que vários políticos que apoiam o presidente da República têm base no serviço público, e estas pessoas não querem se indispor com sua base e dizer que vão ser atingidos pela Reforma. Segundo Nepomuceno, caso aprovado, o projeto atingirá sim os atuais servidores, pois depois da Reforma o Regime Jurídico Único vai ser extinto, os salários serão congelados e o tempo para o servidor chegar no topo da carreira vai aumentar e alguns vão chegar na aposentadoria antes de atingir o cargo.

Na conversa, o assessor também destacou que os defensores da Reforma querem aproveitar o Congresso Nacional vazio devido à pandemia e ao processo eleitoral para  que não haja mobilização, para que a oposição não possa agendar debates com as entidades e participar de audiências públicas. “Tem que ter discussão e audiências públicas. A Reforma vai atingir muitas áreas do serviço público e toda essa turma que será afetada tem que ir para o Congresso, participar de debates e ter acesso aos gabinetes para conversar com parlamentares e ser ouvida. Não dá para fazer um debate correto sem ninguém lá no Congresso, mas isto é o que eles querem”, enfatizou.

Confira a live completa aqui.