ANFIP destaca necessidade de diálogo com parlamentares em reunião da Frente do Serviço Público

128

Em reunião da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público, realizada nesta segunda-feira (1/3), as entidades participantes, entre elas a ANFIP, discutiram as PECs 186/19 (Emergencial) e 32/20 (Reforma Administrativa), para estabelecer estratégias de defesa do serviço público. O vice-presidente de Política de Classe e Política Salarial, José Arinaldo Gonçalves Ferreira, coordenou o encontro, que contou com a participação do assessor de Estudos Socioeconômicos, Vilson Antonio Romero.

Também estiveram presentes os deputados federais, integrantes da Frente, Rogério Correia (PT/MG) e Paulo Ramos (PDT/RJ).

Na oportunidade, Vilson Romero comunicou aos presentes que o lançamento da Frente Gaúcha em Defesa do Serviço Público, realizado na manhã desta segunda-feira, foi um sucesso. Em relação à conjuntura política atual, o assessor alertou que é fundamental que todos se organizem por estado, e façam um mapeamento do comportamento dos parlamentares para compreender qual é o posicionamento deles em relação às PECs, para, a partir disso, iniciar uma interlocução. “Acho que temos que buscar no mínimo condição de diálogo com os deputados e senadores, pois serão eles que votarão as medidas que podem atingir o serviço público como um todo. Nós temos que nos unir e só nos resta, de fato, fazer um trabalho parlamentar de base”, destacou.

Paulo Ramos, ao destacar os direitos que o servidor deve ter, afirmou que um dos principais é a estabilidade, que tem seu fim previsto no texto da PEC 32/20. “A estabilidade é extremamente necessária, para que o servidor não seja alvo de todas as formas de assédio e para que tenha segurança”, alertou.

Para  Rogério Correia, as PECs, caso aprovadas no Congresso Nacional, vão liquidar o serviço público, pois ocorreria a privatização do Estado e o serviço público não serviria ao público e sim aos interesses do próprio Estado. “Se você termina com o servidor público você destrói o serviço público”, lamentou.

Durante o encontro, Vladimir Nepomuceno, consultor político, apresentou um panorama dos trabalhos no Congresso, e os dirigentes presentes expuseram as iniciativas de cada entidade.

Devido à grande movimentação de projetos prejudiciais ao serviço público em andamento no Congresso Nacional, as reuniões da Frente, que antes ocorriam a cada 15 dias, passam a ser semanais para que o grupo acompanhe de perto o cenário e estabeleça ações de enfrentamento.