Lançado pelo Fonacate, Caderno 20 da Reforma Administrativa aborda militarização no setor público

283

“A Militarização da Administração Pública no Brasil: projeto de nação ou projeto de poder?” é o tema abordado no Caderno 20 da série Reforma Administrativa, lançado nesta quinta-feira (20/5), pelo Fórum Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate).

De acordo com o estudo, elaborado por William Nozaki, mestre e doutorando em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp, mais de 6 mil militares atuam em cargos civis no governo Jair Bolsonaro. Chama atenção a presença contundente no Ministério da Educação, fundamentalmente nas áreas ligadas ao ensino superior; no Ministério da Saúde atuando na Anvisa; no Ministério da Agricultura, ocupando o Incra; no Ministério dos Direitos Humanos, ocupando a Funai; no Ministério da Cidadania, ocupando a pasta responsável pelos Esportes; no Ministério do Desenvolvimento Regional, ocupando o departamento responsável pela defesa civil.

Militares estão também em postos de direção ou em conselhos de administração de algumas das maiores empresas estatais do país, como Petrobras, Eletrobras, Itaipu Binacional, Telebras, Correios e Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

Confira AQUI o Caderno 20.