Envie AGORA a sua mensagem

Depois de uma forte mobilização contra a PEC 287/16, chegou a hora de toda a sociedade unir ações contra a PEC 6/2019, uma reforma previdenciária ainda mais cruel com os trabalhadores. Enviada para o Congresso em fevereiro, o texto já passou pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e agora está na Comissão Especial, onde começa a análise de mérito da proposta.

Para viabilizar e facilitar o contato com os parlamentares, a ANFIP coloca à disposição de toda a sociedade um sistema de envio de mensagens. É o momento de mostrar para os deputadas que o povo brasileiro não concorda com esta reforma.

Reforma – Além de mudanças nas regras de aposentadoria, que atrasam e até mesmo impedem a obtenção do benefício futuro, o texto da nova reforma promove diversas outras mudanças, entre elas o aumento da idade mínima de aposentadoria, o aumento do tempo de contribuição, a destruição do princípio da solidariedade ao implantar o regime de capitalização, a desconstitucionalização da Previdência. Afeta de forma intensa os trabalhadores rurais, as mulheres, os pensionistas e os cidadãos do Benefício de Prestação Continuada (BPC). As mudanças impactam a todos, trabalhadores do setor público e da iniciativa privada.

Se não pressionarmos os parlamentares AGORA para que não aprovem a reforma, amargaremos um futuro ainda mais difícil. Muitos terão que trabalhar a vida inteira para se aposentar ou morrerão antes de receber o benefício.

FAÇA SUA PARTE!

ENVIE AQUI SUA MENSAGEM ou veja o passo a passo a seguir:

1º – Clique AQUI para enviar mensagem aos deputados;

2º – É possível mandar para TODOS os deputados ou remeter para um parlamentar específico (estado ou partido político), basta selecionar na ferramenta;

3º – O passo seguinte é o texto propriamente dito. O modelo já estará disponível ou você mesmo pode redigir sua mensagem na caixa de diálogo; e

4º – Em seguida, preencha nome e e-mail válidos e clique em “enviar”. IMPORTANTE: É necessário o envio com o nome e e-mail para que as mensagens não caiam na página de spam do parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *