PEC 32/20: Frente do Serviço Público defende articulação para barrar tramitação do texto

249

Em reunião, nesta segunda-feira (14/6), coordenada pelo vice-presidente de Política de Classe e Política Salarial da ANFIP, José Arinaldo Gonçalves Ferreira, a Frente Parlamentar Mista do Serviço Público debateu mais uma vez a PEC 32/2020 (Reforma Administrativa). O assessor de Estudos Socioeconômicos, Vilson Antonio Romero, também esteve presente no encontro.

A prioridade das entidades é garantir que seja cumprido o prazo de 40 sessões da Câmara antes de votar a proposta, para ampliar o prazo de mobilização da sociedade e para pressionar os parlamentares integrantes da Comissão Especial para que votem contra a matéria.

Para o coordenador da Frente, deputado Rogério Correia (PT/MG), o governo utiliza o argumento de que a Reforma não atingirá os servidores para desmobilizar as bases, e é necessário que todos fiquem atentos. “Se desmobilizarmos vão aprovar essa PEC da forma que puderem retirar mais direitos”. O deputado afirmou ainda que está articulando a elaboração de emendas e a realização de audiências públicas com participação de entidades para discutir como a Reforma atinge diversas áreas, como saúde, segurança e educação.

O consultor político da Frente, Vladimir Nepomuceno, alertou que, apesar de o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP/AL), ter afirmado em reunião com parlamentares de oposição que os partidos políticos ficarão liberados para assinarem emendas sugeridas pelas entidades, isso não garante que ocorrerá, portanto, é necessário que sejam pressionados tanto para assinarem como para aprovarem os requerimentos de realização de audiências para discutir a matéria.

O grupo se reúne novamente na próxima semana e segue com as campanhas de comunicação nas redes sociais em prol da mobilização dos servidores e da população.