Estudo propõe aumentar isentos e impostos para mais ricos

Brasileiros isentos do imposto de renda passariam de 4,9 milhões para 10,2 milhões

Um estudo tributário de entidades do Fisco propõe elevar a isenção do imposto para pobres e subir a taxa a 45% para os mais ricos.

Tributar os super-ricos para reconstruir o país será lançado na próxima semana, coordenado por Eduardo Fagnani, professor de economia da Unicamp.

O estudo prevê aumentar a arrecadação em R$ 86,2 bilhões para estados e R$ 56,3 bilhões para municípios.

As atuais quatro alíquotas do imposto de renda para pessoa física passariam para sete, com a taxação mais alta indo de 27,5% para 45%. Apenas os 0,3% mais ricos teriam aumento na carga tributária.

A faixa máxima, de 45%, alcançaria 59,4 mil brasileiros. Esse grupo tem renda líquida mensal a partir de R$ 76,3 mil.

O limite para isenção subiria de R$ 1.908 para R$ 2.862. Com isso, o número de isentos iria de 4,9 milhões de brasileiros para 10,2 milhões.

O documento traz outras sete propostas de mudanças na legislação, em linha com a reforma tributária solidária, que tramita no Congresso com apoio de Rede, PSB, PSOL, PDT, PCdoB e PT.

Participaram do trabalho a Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), Instituto Justiça Fiscal e Auditores Fiscais pela Democracia.

Fonte: Época