Aposentados (O Liberal – Coluna Emídio Rebelo Filho)

79

APOSENTADOS

Para se gastar os recursos financeiros públicos na política que não beneficia a população brasileira há disponibilidade de 4,9 bilhões de reais. Esse é o valor que o Fundo Eleitoral foi contemplado. No entanto, para reajustar os proventos das aposentadorias e pensões das cidadãs e cidadãos brasileiros que ajudaram no passado e ainda contribuem no desenvolvimento do Brasil, se disponibiliza apenas um mísero aumento de 3,71%. É um malfeito indescritível, não concebível e massacrante, confirmando-se o que já dissemos anteriormente: todos os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passarão a receber o correspondente a um salário mínimo. Injustiça!

ANIVERSÁRIO

O dia 24 de janeiro é considerado o dia da Previdência Social e do Aposentado. A este caberia um festejo de relevância, como se faz quando se completa uma nova idade. Porém, não é possível festejar o aniversário quando não se tem um motivo justificável e sem dissabores pelo não reconhecimento do valor que representam na sociedade brasileira. É o que acontece com 37 (trinta e sete) milhões de brasileiras e brasileiros, hoje, penalizados, registre-se, sem justificativa. A correção dessa maldade e perversa ação contra aposentados e pensionistas tem que acontecer. Não se concebe procedimentos dessa natureza e impróprios à cidadania.

CIDADANIA

Os aposentados e pensionistas não são marginais. São cidadãos e cidadãs brasileiros e merecem ser tratados com dignidade e justiça. O que fizeram no passado não pode ser ignorado. É o que fazem no presente tem que ser levado em consideração, pois muitos, mesmo recebendo um salário mínimo ainda comandam o sustento da família. São verdadeiros heróis que deve-riam ser reverenciados e não abandonados e massacrados pela Previdência Social, para a qual contribuíram financeiramente durante o período que permaneceram no mercado de trabalho. Suas contribuições financeiras foram destinadas a garantir uma aposentadoria com proventos dignos para manutenção de uma qualidade de vida sem atropelos.

INSISTÊNCIA

Não podemos prescindir e sim insistir na aprovação do Projeto de Lei n° 4.434/2008. É uma reivindicação de justiça social. Os deputados federais não podem postergar uma decisão que tem por finalidade corrigir um procedimento irregular praticado contra aposentados e pensionistas. É uma reivindicação de atualização e regularização nos proventos das aposentadorias e pensões, repetimos, com defa-sagem de mais de três décadas, precisamente 33 (trinta e três) anos. Lembramos aos nossos representantes na Câmara Federal que 73% dos beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), já recebem um salário mínimo, representando 27 (vinte e sete) milhões de segurados.

RECURSOS

Não aceitamos a justificativa da falta de recursos financeiros para reajustar os proventos das aposentadorias e pensões, com o mesmo índice aplicado ao salário mínimo. A nossa conta Seguridade Social arrecada o suficiente para atender e suprir as despesas decorrentes com saúde, assistência social e previdência social. Os deputados federais podem e devem consultar os registros contábeis do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) do Governo Federal e as análises anuais da conta Seguridade Social, divulgadas amplamente pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip) e Fundação Anfip.

FÁBULA

Conta uma fábula que, quando da criação do mundo, a Saturno coube reger os homens. Estes estavam adorando a vida, até que com a idade apareceram as primeiras mazelas físicas. Em comitiva, foram a Saturno protestar; este lhes respondeu que nada po-deria fazer quanto a isto, pois esta era a lei. Porém, lhes prometia que à medida que envelhecessem, se tornariam cada vez mais sábios… E ai de quem não aceitasse esta condição: ficaria velho e tolo! (Transcrição do livro “Como Viver Feliz seus 100 Anos”).

VELHOS

“Devemos amar os velhos, honrá-los e protegê-los, eles são parte do nosso patrimônio nacional” (Ana Aslan).

Fonte: O Liberal – PA