Pública Central analisa repercussão dos atos unificados pelo Dia do Trabalhador

72

A Pública Central do Servidor reuniu entidades de classe, centrais sindicais e organizações sociais, nesta quinta-feira (2/5), para discutir pautas de interesse dos servidores públicos federais. O encontro foi coordenado pelo presidente da Pública, José Gozze, e contou com dezenas de participantes, de todas as regiões do país.

Pela ANFIP, acompanhou o vice-presidente Executivo, Gilberto Pereira, que colaborou com a análise das mobilizações unificadas, realizadas no Dia do Trabalhador (1º/5).

Com o tema “Por um Brasil Mais Justo”, as categorias reivindicaram diversas bandeiras de luta: valorização do serviço público e dos servidores e servidoras; correção da tabela do Imposto de Renda; redução dos juros; aposentadoria digna, igualdade salarial e empregos com melhores condições.

Os atos, que visaram a redução da desigualdade social e melhorias no funcionamento do país, foram organizados em São Paulo (SP), Brasília (DF), Natal (RN), Belo Horizonte (MG), Caxias do Sul (RS) e Pelotas (RS). Em Porto Alegre (RS), as mobilizações foram canceladas devido à alta intensidade das chuvas e à ocorrência de enchentes no estado.

Ao se pronunciar, Gilberto Pereira se solidarizou com a situação de Porto Alegre e afirmou não ter razões para comemorar a data. “Vejo um 1º de maio triste, onde os servidores públicos não são vistos como trabalhadores”, disse, referindo-se aos constantes ataques sofridos, com a proposta de aumento zero, a PEC do quinquênio somente para os magistrados, o desconto para Previdência dos aposentados e a outras perdas de direitos das categorias nos últimos anos.

O vice-presidente também apontou os prejuízos da renúncia fiscal, levantados pela Análise da Seguridade Social de 2022, elaborada pela Fundação ANFIP, que alcançou o valor de R$ 242 bilhões, causando um déficit de R$ 131 bilhões naquele ano, e frisou a necessidade de renovação da mentalidade dos governos, independentemente de partidos e lados políticos. Para isso, defendeu a melhor gestão do gasto público e a valorização dos trabalhadores brasileiros como formas de movimentar a economia nacional.

Na próxima quinta-feira (9/5), às 14h, será realizada audiência pública pela aprovação do PLP 21/2023, apensado ao PLP 143/2020, que prevê o descongelamento e a retroatividade do pagamento dos direitos suspensos durante a pandemia de Covid-19. A sessão acontece no Anexo II da Câmara dos Deputados, plenário 8.