MCCE analisa cenário brasileiro em primeira reunião de 2023

254

O vice-presidente de Política de Classe e Política Salarial, José Arinaldo Gonçalves Ferreira, representou a ANFIP na reunião do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), nesta quarta-feira (25/1), junto à rede de entidades que o integra.

Na oportunidade, foram apresentadas atualizações envolvendo a Lei de Improbidade Administrativa (LIA – Lei 8.429/1992) e a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 7236, com participação especial do vice-presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Tarcísio José Bonfim, e da presidente da Associação Mineira do Ministério Público (Ammp), Larissa Rodrigues Amaral (saiba mais aqui).

Os dirigentes também discutiram o panorama nacional em 2023, após as eleições, com avaliação geral e comentários sobre os atos antidemocráticos ocorridos no dia 8 de janeiro na capital federal e seus desdobramentos.

Sobre o assunto, José Arinaldo frisou a necessidade de investigação dos movimentos, a fim de apurar e responsabilizar seus financiadores e apoiadores diretos e indiretos, incluindo a participação de servidores públicos no montante. “Somos servidores de Estado, não de governo. É inadmissível que saiam impunes os que atacaram, sem pudor algum, a nossa nação”, defendeu.

Entre os projetos previstos para 2023, estão debates junto ao Congresso Nacional em prol do aperfeiçoamento do processo eleitoral, e sobre temas que estimulem maior entendimento e participação popular nas decisões do Parlamento. As ações devem ser realizadas em conjunto com as entidades representativas de classe, entre elas a ANFIP.

A próxima reunião do grupo foi marcada para fevereiro.