Oxfam alerta para aumento da desigualdade

215

A Oxfam publicou relatório indicando que a “desigualdade econômica está fora de controle”, já que o 1% mais rico do mundo tem mais que o dobro da riqueza do resto da humanidade. Os dados foram anunciados nesta segunda-feira (20/1), um dia antes da reunião anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que reúne os principais líderes empresariais e políticos mundiais, intelectuais e jornalistas selecionados para discutir as principais questões enfrentadas mundialmente, incluindo saúde e meio-ambiente.

Acompanhando a agenda do Fórum, a Oxfam –organização brasileira internacional que luta contra as causas da pobreza, injustiças sociais e desigualdades– focou seus estudos no valor do trabalho de cuidado não ou mal remunerado e na crise global da desigualdade.

“Em 2019, os bilionários do mundo, que somam apenas 2.153 indivíduos, detinham mais riqueza do que 4,6 bilhões de pessoas. Esse grande fosso baseia-se em um sistema econômico sexista e falho, que valoriza mais a riqueza de um grupo de poucos privilegiados, na sua maioria homens, do que bilhões de horas dedicadas ao trabalho mais essencial – o do cuidado não remunerado e mal pago, prestado principalmente por mulheres e meninas em todo o mundo”, destaca o documento.

A organização alerta que essa situação precisa mudar. “Governos ao redor do mundo devem agir para construir uma economia humana e que valorize o que realmente importa para a sociedade, em vez de promover uma busca interminável pelo lucro e pela riqueza”, orienta.

Confira alguns dados do relatório:

  • Os 2.153 bilionários do mundo têm mais riqueza do que 4,6 bilhões de pessoas (60% da população mundial).
  • Os 22 homens mais ricos do mundo têm mais riqueza do que todas as mulheres da África.
  • Mulheres e meninas ao redor do mundo dedicam 12,5 bilhões de horas, todos os dias, ao trabalho de cuidado não remunerado – uma contribuição de pelo menos US$ 10,8 trilhões por ano à economia global – mais de três vezes o valor da indústria de tecnologia do mundo.
  • 90% do trabalho de cuidado no Brasil é feito informalmente pelas famílias – e desses 90%, quase 85% é feito por mulheres.

Baixe o relatório AQUI e fique por dentro dos cenários socioeconômicos do Brasil e do mundo.