TV ANFIP: Geap explica renovação de contrato e novo custeio do plano

649

A TV ANFIP recebeu nesta quinta-feira (8/2) o diretor-presidente da Geap, Douglas Figueredo, e os gestores Ronald Acioli, Alessandra Caiado e Patroclus Quintela para apresentar o posicionamento da fundação quanto ao reajuste concedido aos usuários acima de 59 anos. Participaram da transmissão, pela ANFIP, a vice-presidente de Serviços Assistenciais, Margarida Lopes de Araujo, como mediadora, e os vice-presidentes Jorge Cezar Costa (Finanças) e Maria Beatriz Branco (Assuntos Jurídicos).

Douglas Figueredo explicou que, na visão da Geap, não houve um reajuste do plano, houve a renovação do convênio com o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, com um novo parâmetro de custeio, logo, com uma tabela de preços atualizada, capaz de dar à Geap competitividade, sustentabilidade e equilíbrio para os próximos dez anos. “Foi muito calculado, muito preciso”, afirmou.

Não era possível, para Figueredo, reeditar os dez anos passados, pois ele teve vigência em outro cenário. Além da mudança de valores, o diretor-presidente disse ainda que foi feito um aporte de R$ 250 milhões e elaboradas metas para 2024. Entre elas, crescer 5 mil vidas ao mês, a partir de março, e reduzir 5% dos custos. Se cumpridas, e se atingido o equilíbrio da carteira, em 2025 o reajuste vai ser o menor do mercado.

Alessandra Caiado, coordenadora de Produtos, destacou que houve uma perda expressiva de vidas na faixa dos mais jovens, saindo de 600 mil para 273 mil vidas, justamente os que sustentam o plano de forma global, pois o preço não era competitivo para esse grupo. Somado a isso, na faixa etária mais idosa, as receitas não conseguiam arcar com as despesas. “A gente precisa do grupo abaixo dos 59 anos para gerar reserva adicional para que a gente consiga, através do mutualismo, através da solidariedade, tirar um pouco desse valor que sobra para arcar com a despesa do grupo superior”, explicou. Segundo Alessandra, só nessa janela de renovação de contrato foi possível praticar uma nova tabela. “Ela vai viger por dez anos. Se não fizéssemos a alteração agora, não poderíamos mais mexer nessas faixas etárias e não traríamos sustentabilidade para os próximos anos”, justificou.

Ao longo da transmissão, os participantes apresentaram os questionamentos no chat e puderam expressar a insatisfação com a medida tomada, assim como relatar a precariedade no atendimento pelo interior do país. Como resposta, os gestores da Geap afirmaram que as mudanças começaram agora e já é possível verificar um crescimento no número de vidas. Alguns contratos com prestadores também estão sendo renovados por todo país. Com o tempo, destacaram, será possível, cada vez mais, implementar melhorias para todos.

Para ficar ainda mais por dentro de todos os assuntos abordados na live, confira a apresentação, por blocos, clicando nos links abaixo:

00:00 – Início

02:10 – Margarida Lopes de Araújo (Serviços Assistenciais)

03:39 – Ronald Acioli – Gerente-executivo da Geap

07:24 – Maria Beatriz Branco (Assuntos Jurídicos) e Jorge Cezar Costa (Finanças)

11:09 – Douglas Figueredo – Diretor-presidente da Geap

37:26 – Alessandra Caiado fala sobre reajuste das faixas etárias

40:46 – Douglas Figueredo complementa informações sobre o plano

44:13 – Jorge Cezar Costa apresenta perguntas

48:20 – Douglas Figueredo e Ronald Acioli fazem panorama do plano em 2024

59:00 – Perguntas Maria Beatriz Branco e Margarida Lopes sobre etarismo

59:46 – Douglas Figueredo e Alessandra Caiado respondem

1:05:10 – Margarida Lopes pergunta sobre adesão à Geap

1:06:40 – Ronald Acioli responde

1:09:46 – Considerações finais