Bilionários do Brasil aumentaram suas fortunas durante a pandemia, revela Oxfam Brasil

No Brasil, a discussão da reforma tributária não leva em conta a necessidade de tornar o sistema mais progressivo e indutor da redução das desigualdades. No país, enquanto uns lucram muito, a maioria perde tudo. É o que revela o relatório “Quem Paga a Conta? – Taxar a Riqueza para Enfrentar a Crise da Covid-19 na América Latina e Caribe”, da Oxfam Brasil.

Segundo o relatório, 73 bilionários da América Latina e do Caribe aumentaram suas fortunas em US$ 48,2 bilhões entre março (início da pandemia) e junho deste ano. O Brasil tem 42 desses bilionários. O patrimônio líquido deles subiu de US$ 123,1 bilhões para R$ 157,1 bilhões no período.

Para a ANFIP, a reforma tributária que o Brasil precisa deve enfrentar as desigualdades com coragem e ousadia. As propostas defendidas pelo governo (PL 3887/20) e Parlamento (PECs 45/19 e 110/19) não encaram a capacidade tributária de frente, mantém o sistema regressivo e focam prioritariamente na unificação de tributos sem reordenação da carga tributária.

#ReformaTributáriaSolidária #JustiçaFiscal