Debate na Agência Servidores apresenta impactos da PEC 6/2019

166

A Agência Servidores realizou, nesta quarta-feira (27/3), um debate ao vivo sobre a PEC 6/2019, da reforma da Previdência. O debate contou com a participação do presidente da ANFIP, Floriano Martins de Sá Neto, do presidente da Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), Luís Antônio Baudens, e do coordenador do Sindjus/DF (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário e do MPU), José Costa Neto.

Em geral, o debate foi pautado pela avaliação do projeto do atual governo para a reforma. Floriano de Sá Neto lamentou a falta de diálogo entre as entidades, mas exaltou o trabalho parlamentar da ANFIP durante a transição do governo, na apresentação dos estudos feitos pela entidade: “A ANFIP vem como uma entidade que cuida da arrecadação. Temos um cuidado primoroso em apresentar dados informativos para balizar o debate em toda a sociedade. Entretanto, viemos chamando atenção para um fato que se repete nas últimas propostas: não temos números e estudos.”

Luís Baudens falou sobre o discurso do governo contra os servidores públicos. “Nós da Polícia Federal, da Receita Federal e dos órgãos de fiscalização, somos essenciais quando o governo quer operar de forma positiva no crescimento do país. Esperamos sermos parte do debate e não sermos alvo de reformas como as últimas tem sido apresentadas.”

Costa Neto, do Sindjus, observou que a PEC 6/2019 traz vários pontos apresentados na antiga PEC 287/20176, do governo Temer, com um relevante aprofundamento do prejuízo social e desmonte da previdência pública da Constituição de 1988: “O Estado quer tirar sua responsabilidade diante da proteção social tentando colocar o servidor público como bode expiatório. Ao invés de atingir os erros praticados pelo governo, ele prefere taxar de modo cruel segmentos da sociedade que tanto precisam.”

Para conferir o debate completo, assista aqui a íntegra da transmissão ao vivo.