ANFIP presta homenagem a ex-presidentes da Entidade e relembra trajetória

539

A história da ANFIP é marcada por importantes realizações, união e dedicação daqueles que ajudaram a construir a Entidade até aqui. Para lembrar essa trajetória grandiosa, foi realizado, nesta terça-feira (30/11), em Brasília, evento em homenagem a todos os ex-presidentes da Associação e para concretizar o Projeto ANFIP 70 Anos, adiado de 2020 para este ano devido à pandemia.

A vice-presidente de Relações Públicas e coordenadora do projeto, Maria Aparecida Fernandes Paes Leme, saudou os presentes durante abertura do evento. “Creio que a emoção está palpitando em cada um de nós aqui presente. Emoção decorrente do reencontro, da amizade, do carinho entre amigos que, embora territorialmente separados, são ligados por uma célula agregadora chamada ANFIP”, disse.

Décio Bruno Lopes, presidente da ANFIP, enalteceu o trabalho coletivo em toda a trajetória da Entidade. “A todos vocês que construíram a ANFIP e a todos que, ao longo do tempo, vêm construindo a Associação, nosso muito obrigado! A ANFIP depende de cada um de nós. Vocês foram o esteio dessa construção. Nós, que viemos depois, temos o dever de continuar essa construção para os próximos 70, 100 ou mais anos”.

Carlos Castro, que integrou a mesa do evento como coordenador do Conselho de Representantes, no lugar de Genésio Denardi, que não pode estar presente, falou da alegria de participar de momentos como o atual. “Quando vejo tantos amigos e colegas que, ao longo do tempo, construíram essa Entidade, eu vejo a nossa fortaleza cada dia se consolidar neste lugar de valor, de cultura e de amor”, ressaltou.

Maria Gorete Medeiros, do Conselho Fiscal, agradeceu o trabalho da ANFIP em prol dos associados. “Sou muito agradecida por essa União, por tudo que a ANFIP tem feito pela categoria, pela classe. É muito importante que a gente se lembre que o coletivo é mais importante do que o individual”, declarou, falando de sua emoção em aprender e fazer parte da Associação.

Margarida Lopes de Araújo, presidente da Fundação ANFIP, aproveitou a ocasião para parabenizar o presidente Décio Lopes pela condução da Entidade. “Tão bem conduziu a ANFIP nesses dois anos tão difíceis de pandemia e nos deu todo o apoio”. Lembrou, ainda, da criação do Hino da ANFIP, durante gestão de Severino Cavalcanti (1997-1999), e também da Galeria dos Ex-presidentes, fixada na sede da Associação. “Adoro ver os ex-presidentes. Eles nos antecederam e nos deram a sua experiência e o incentivo para também trabalhar pela nossa Entidade”, afirmou.

Diante de um público reduzido, envoltos de grande emoção, e na presença dos integrantes dos Conselhos Executivo, Fiscal e de Representantes, junto à Fundação ANFIP, receberam as homenagens: Gilberto Ulysses Franceschini (1983-1984), Marville Taffarel (1988-1989), Pedro Augusto Sanchez (1991-1992), Severino Cavalcante de Souza (1997-1999), Antônio Rodrigues de Sousa Neto (1999-2001), Jorge Cezar Costa (2009-2011) e Floriano Martins de Sá Neto (1993-1995 e 2015-2019).

Também foram lembrados in memoriam e homenageados pela ANFIP o ex-presidente Pedro Dittrich e Manoel de Oliveira Filho, o Manoelzinho, por suas contribuições à Entidade. As honrarias foram entregues à Regina Iara Regis Dittrich, viúva de Pedro Dittrich; e à Marcelo Barros de Oliveira, filho de Manoelzinho.

Revista 70 Anos

Ainda como parte das homenagens à trajetória da Associação, foi lançada oficialmente a Revista 70 Anos, publicação que faz uma retrospectiva da história da Entidade, conta fatos de bastidores, apresenta um breve histórico das Associações Estaduais e um álbum de fotos para lembrar momentos de companheirismo e encontros de associados de todo o Brasil.

A versão digital da Revista 70 Anos está disponível no site da ANFIP. Clique aqui para baixar a publicação.