ANFIP-RJ tem história ligada à Entidade Nacional

79

A  ANFIP/RJ – ainda mais conhecida pela sigla AFIPERJ, devido aos longos anos em que utilizou a antiga sigla – é uma entidade resultante da fusão das Associações dos antigos Estado da Guanabara (UFIPEG) e do antigo Estado do Rio de Janeiro (AFFIP),  que sempre estiveram intimamente ligadas à ANFIP, não só porque, na cidade do Rio de Janeiro, então Capital do País, nasceu e se consolidou a Entidade Nacional, mas também porque as duas Associações estaduais de então (UFIPEG e AFFIP), e depois a AFIPERJ,  pela convivência no mesmo espaço territorial, acabaram sendo o berço de várias lideranças que surgiam e os braços mais disponíveis da própria ANFIP. Não se pode esquecer que a 1ª Convenção Nacional foi realizada no Rio de Janeiro, em que a sede da ANFIP, até 1987, foi na cidade do Rio de Janeiro.

E, no passar dos anos, mesmo após a transferência da sede da ANFIP para Brasília, em 1988, a então AFIPERJ jamais deixou de ser uma parceira muito forte da ANFIP, inclusive, quando da transferência da sede em 1988, passou a ocupar o espaço que era cedido à ANFIP, no Rio de Janeiro, mediante comodato com o IAPAS, o que facilitou bastante a transferência menos açodada de todo o acervo da Entidade Nacional para a nova sede em Brasília. Acrescente-se a isso o fato de que, para evitar maior trauma quanto à dispensa de funcionários da ANFIP, em decorrência da transferência para a Capital Federal, a AFIPERJ contratou-os em seus quadros.

No campo de atividades conjuntas das duas Entidades (ANFIP e ANFIP/RJ), as realizações foram inúmeras, merecendo destaque algumas delas, por mais expressivas:

1-  A Primeira Convenção Nacional da ANFIP, no Rio de Janeiro em 1968;

2A VII Convenção Nacional da ANFIP, na cidade de Niterói, em 1979, num momento bastante traumático com a criação do SINPAS e mudança de Governo, merecendo destaque especial o aparecimento de um dos mais brilhantes oradores da ANFIP, o associado Pedro Dittrich Junior, que posteriormente seria eleito Presidente da ANFIP (1981);  

3- O 1º Simpósio de Custeio Previdenciário da Região Sudeste, promovido pela ANFIP/AFIPERJ, em setembro de 1988, no Hotel Bucsky Mar, em Niterói/RJ, com apoio do MPAS e IAPAS;

4- O V Encontro Nacional de Fiscais de Previdência, ativos, aposentados e pensionistas, realizado no Rio de Janeiro, em maio de 1996, que, segundo o “ANFIP- Informativo Nacional” de junho de 1996 (nº 111), foi apontado como “Recorde de público e qualidade dos debates”, tendo em sua abertura a presença do brilhante pianista Miguel Proença, que executou com maestria a “Grande Fantasia Triunfal Sobre o Hino Nacional Brasileiro”, do compositor norte-americano Gottschalk, conseguindo emocionar a todos os presentes, despertando-lhes para um encontro que foi memorável. Interessante lembrar que o famoso pianista, à noite da véspera do evento (23h), examinando o piano  disponível em que tocaria, o rejeitou, obrigando que a AFIPERJ, pelo seu Diretor Administrativo, na madrugada do dia do Evento, conseguisse alugar um piano de cauda devidamente afinado à altura do nobre pianista que iria se apresentar naquele V Encontro, no Hotel Copa Dór, a peça que havia preparado para posse do eleito presidente da República Tancredo Neves, que infelizmente falecera, impedindo-lhe aquela apresentação tão marcante, que veio a ocorrer no nosso Encontro.  O jantar solene de encerramento do V Encontro, no luxuoso Hotel Intercontinental, em São Conrado, foi também muito marcante, animado pela Banda “Rio Jazz Orchestra” do médico-maestro Marcos Szpilmann, que encantou a todos participantes;

5- O Seminário Internacional de Previdência Complementar dos Servidores Públicos, em 08/11/2012, no Hotel São Francisco, centro da cidade do Rio de Janeiro. O evento teve tradução simultânea e foi promovido pela ANFIP, junto com a Fundação ANFIP, com apoio da AFIPERJ;

6–  II ENCONTRO DO SUDESTE, em novembro de 2014, no Hotel Windsor Plaza, Copacabana, no Rio de Janeiro, discutindo temas de interesses da ANFIP e das Associações dos Estados da Região Sudeste, logicamente envolvendo questões de interesse da Categoria Fiscal e da Seguridade Social;

7- Os “50 ANOS DA I CONVENÇÃO NACIONAL DA ANFIP”, em 09/11/2018, evento ocorrido no Rio Othon Palace Hotel, em Copacabana, Rio de Janeiro, comemorando a nossa primeira Convenção Nacional, marco fundamental da ANFIP, realizada em 1968, na mesma cidade, com sensibilizada retrospectiva e agradecimentos aos fundadores da Entidade e todos aqueles que a vêm mantendo firme nos seus propósitos de defesa da categoria dos Auditores Fiscais, da Seguridade Social e agora também da Tributação.

Inegável que ANFIP e ANFIP/RJ tem o mesmo “DNA”, lutando com toda garra e mesmos objetivos de seus fundadores e de todos aqueles que conseguiram  trazer a ANFIP até os seus 70 anos, rogando que permaneça assim pelos anos que virão, não só pelo que representará em defesa da categoria dos Auditores Fiscais, mas sobretudo pela preocupação com o fortalecimento de uma Nação compromissada com o progresso dos mecanismos da Administração Tributária, da Seguridade Social e do serviço público em geral, em benefício da sociedade e da construção de um País com mais justiça social e fiscal, portanto uma Nação mais justa com seus filhos, não sendo apenas figura de retórica a parte do Hino Nacional que diz: “dos filhos deste solo é mãe gentil, Pátria amada Brasil”.